Prefeito diz que não fará trocas em cargos por acordos de campanha

insercao-outubro-2

Apresentação do novo sistema de bilhetagem eletrônica da Região Metropolitana aos prefeitos da RMC. Na foto, o prefeito de Contenda, Carlos Eugênio Stabach. Curitiba, 15/07/2015. Foto: Pedro Ribas/ANPr

Foto: Pedro Ribas/AEN

Alexsandro Wojcik

Nem todos imaginavam que a eleição em Contenda fosse ser tão acirrada da maneira como foi. Com uma coligação composta por 10 partidos, sendo eles PMDB, PSB, PDT, DEM, PR, PSDB, PSC, PT, PRB e PEN, e tendo em sua chapa aquele que poderia ser um dos seus principais adversários na disputa, Carlão Stabach, atual prefeito e que acabou reeleito, era cotado para ter uma eleição facilitada. Na prática, porém, Mostarda (PV), o candidato de oposição, conseguiu um número expressivo de votos, mesmo tendo apenas um partido (PTB) compondo sua coligação e um número de candidatos a Vereador igualmente menor. No final, 389 votos definiram a vitória de Stabach, que em uma breve conversa na semana passada disse que irá responder “com muito trabalho” à apertada reeleição.

Com o grande grupo político que o apoiou, muito se fala em trocas na Prefeitura Municipal a partir de Janeiro, principalmente com relação aos cargos de confiança (comissionados), além de possíveis mudanças nas Secretarias. Sobre o assunto, Stabach garantiu que não fez acordos deste tipo para garantir apoio na campanha e que se ocorrerem mudanças elas serão feitas por necessidade. “Não existiu nenhum acerto nesse sentido, mas a atual administração se encerra em dezembro. A partir do dia 02 de Janeiro é uma nova administração. Se houverem mudanças, elas ocorrerão de acordo com a necessidade.”, afirmou.

Cinco novos Vereadores assumem uma vaga a partir de janeiro

Até de maneira surpreendente, cinco novos Vereadores foram eleitos no último dia 02 e assumirão uma vaga na Câmara Municipal a partir de janeiro. Apenas quatro dos nove Vereadores atuais foram reeleitos, sendo que Osvaldo da Silveira, um deles, não foi candidato no último pleito.

Vereador mais votado da história do município com 882 votos, Gilmar Carpejani (PSC) encabeça o grupo dos reeleitos, acompanhado por Toninho Padilha (PSB), que obteve 414 votos, Joãozinho Ribeiro (PSDB), 383 votos, e Ary da Casa do Colono (PDT), 299 votos. Fabinho (DEM), com 793 votos, Roia (PEN), 700 votos, Simone Bojano (PMDB), 597 votos, Professor João Gilmar (PEN), 406 votos e Silvio Espinola (PTB), com 207 votos, são os novos nomes que tomarão posse ano que vem, sendo que destes cinco apenas Espinola já foi Vereador no município.

Ainda, ficaram como 1.º suplente Helio Padilha (PEN), que obteve 400 votos, Edson Verdureiro (PSB), 274 votos, Kiko (PMDB), 363 votos, e Dilo (PTB), com 206 votos. Como 2.º suplente aparecem Newton Padilha (PSDB), que obteve 311 votos, Miguel Taborda (DEM), com 261 votos, Antonio Vargas (PRB), 249 votos, e Nego do Habitar (PTB), com 183 votos.

Embora seja cedo para afirmar, a perspectiva de que a Câmara sofra mudanças no seu modo de operar é significativa para a próxima gestão. Em janeiro do ano que vem já será definido o novo presidente da casa para o biênio 2017-2018. Agora, independente de ser Vereador de primeira viagem ou não, o que se espera de cada um dos eleitos ou reeleitos é trabalho e respeito com a população que os elegeu, além de comprometimento com as funções que lhes são delegadas, sendo a principal delas representar os interesses da população perante o poder público. E, se por um lado cabe aos Vereadores, entre outros, fiscalizarem a Prefeitura, por outro cabe à própria população fiscalizar os Vereadores.