Greve no transporte coletivo de Araucária chega ao 4º dia sem negociação e sem pagamento

insercao-otica-4000

dm-banda-bA greve no transporte coletivo em Araucária completa quatro dias nesta quinta-feira (27). Motoristas e cobradores da Viação Tindiquera entraram em greve na segunda-feira (24), porque a empresa não pagou os vales salariais atrasados dos funcionários, impasse que permanece até o momento. A paralisação afeta 40 linhas de Araucária e hoje o Sindicato dos Motoristas e Cobradores de Curitiba e região (Sindimoc) vai judicializar, entrar com uma petição perante o juiz.

O presidente Anderson Teixeira disse à Banda B que os trabalhadores estão há uma semana com o salário atrasado. “Estamos vivendo uma situação caótica na cidade, os dois lados jogam para outro, e no total estamos no sétimo dia de atraso no pagamento dos trabalhadores e as contas acumulando, os mantimentos acabando e nenhuma previsão de pagamento”, contou.

Sobre uma possível quebra de braço entre prefeitura e empresas, o presidente afirma que o processo judicial poderá auxiliar a categoria. “O novo passo é que judicializamos o processo. O que nos causou estranheza é que, se a empresa quer cobrar uma dívida do município, ela está afetando os trabalhadores. Por isso, estamos com uma ação de cobrança referente à empresa e colocando a prefeitura como solidária. Infelizmente, estamos pagando preços altos.”

Segundo o Sindimoc, no mês passado, a Tindiquera atrasou o salário em sete dias e só pagou após trabalhadores deflagrarem greve. Nos últimos meses, problema de atraso salarial está voltando a ocorrer nessa empresa e em outras, como a São Jose dos Pinhais Filial. A Viação Tindiquera tem aproximadamente 400 motoristas e cobradores.

Fonte: Banda B

Foto: DM / Banda B