Adolescente lapeana fugiu de casa por causa do padrasto

Marcieli passou 8 dias se alimentando de mimosas, pinhão e bolacha

11011605_360720130797902_9210118742115449474_n

A imprensa esteve presente no local, e entrevistou a mãe da garota, Maria Amaral. Foto: Sandro César. 

Nesta sexta-feira (24), por volta das 13h, chegou ao fim um caso que abalou a Lapa desde a última semana. Foi encontrada, com vida, a garota Marcieli Amaral, de 14 anos, que estava desaparecida há 8 dias.

A garota foi encontrada pelo Professor Pedro Ribeiro na beira da BR 476, ainda na Lapa. Logo em seguida ela foi encaminhada para a UPA do município onde recebeu atendimento médico e psicológico.

Segundo Maria Amaral, mãe da garota, que concedeu entrevistas na frente da UPA, Marcieli saiu de casa por volta da meia noite de quinta (16) para sexta-feira (17). A menina contou que passou os oito dias andando na beira BR 476, que passa pelo Faxinal dos Dias onde a garota mora, e se alimentou de mimosas, pinhão e dois pacotes de bolacha que havia levado de casa.

A garota foi encontrada muito suja, um pouco desnutrida, mas em boas condições de saúde, tanto que já nessa sexta-feira recebeu alta.

Marcieli fugiu por causa do padrasto

Apontado pela polícia como principal suspeito pelo sumiço de Marcieli, o padrasto da garota, Mauricio Furtunato, deve se complicar ainda mais nos próximos dias. Ele já está preso depois de amigas da garota afirmarem que o sumiço de Marcieli era por conta de abusos sexuais que a garota vinha sofrendo por parte do padrasto.

Segundo o que a Revista Eletrônica Lapa apurou, ainda na UPA da Lapa a garota teria confirmado que decidiu sair de casa por conta do padrasto.

Caso mobilizou a imprensa

O caso Marciele foi notícia nos principais meios de comunicação do Paraná. Programas como o Paraná TV, Tribuna da Massa e Balanço Geral deram destaque para a história que chocou a Lapa.

Nessa sexta-feira, logo após a garota ser encontrada vários veículos de comunicação estiveram na UPA da Lapa para conversar com a mãe da garota.

Da redação com informações da Revista Eletrônica Lapa