Agricultores de Contenda fizeram a destinação correta de 143 toneladas de embalagens de defensivos agrícolas em 2017

Alexsandro Wojcik com informações do INPEV

Os agricultores de Contenda contabilizaram no ano passado uma expressiva marca: cerca de 143 toneladas de embalagens de defensivos agrícolas tiveram uma destinação correta em 2017. O Sistema Campo Limpo, programa brasileiro de logística reversa de embalagens vazias de defensivos agrícolas, é quem coleta e destina o material, sendo que para isso conta com o engajamento de todos os elos da cadeia produtiva agrícola, ou seja, dos agricultores, fabricantes e dos canais de distribuição, além do poder público.

No estado do Paraná foram 5.764 toneladas recolhidas, o que significa 13% do total nacional, que atingiu mais de 44,5 mil toneladas encaminhadas para reciclagem ou incineração. Os dados são do Instituto Nacional de Processamento de Embalagens Vazias (INPEV). “Dentro dos princípios da responsabilidade compartilhada, os produtores rurais devem no momento do preparo do produto para aplicação, lavar e inutilizar as embalagens, respeitando as recomendações do fabricante, por meio da tríplice lavagem ou lavagem sob pressão. Esse material deve ser entregue nas unidades fixas ou recebimentos itinerantes para que sigam para a reciclagem”, destaca Fabio Macul, coordenador regional de Operações do INPEV, que atua como núcleo de inteligência do Sistema Campo Limpo e promove ações de conscientização e educação ambiental sobre o tema. “E é extremamente importante que o agricultor separe embalagens das tampas no momento da devolução. Isso garante agilidade no processo de recebimento pela central”, reforça ele. Em Contenda, a central de recebimento fica na Avenida São João, 2500, fundos.

Segundo o Instituto Nacional de Processamento de Embalagens Vazias, o Brasil é referência mundial na destinação ambientalmente correta do material, encaminhando 94% de embalagens plásticas primárias para reciclagem ou incineração.