Concluída há quase três anos, creche ainda aguarda abertura

IMG_3599

Alexsandro Wojcik

Concluída desde agosto do ano de 2013, a nova creche municipal localizada no centro da cidade ainda aguarda para receber seus alunos. Contando com mais de mil metros quadrados de área construída, oito salas de aulas, além de toda a estrutura necessária para atender com qualidade seus futuros frequentadores, a principal razão para a creche ainda não ter recebido seus alunos é a contratação de funcionários, por parte da Prefeitura, para dar andamento ao trabalho na instituição. Pelo menos esta é principal justificativa dada pelo Poder Público com relação à demora para a abertura da creche, cuja construção começou ainda em 2012, durante o mandado do então prefeito Hélio Boçoen. A Prefeitura Municipal informou também que ainda não dispõe de todos os mobiliários necessários para o atendimento dos alunos, e que estes itens estariam em processo de aquisição.

A construção da instituição de ensino foi viabilizada através de uma verba recebida pelo município do Fundo Nacional de Desenvolvimento da Educação, em 2012, durante a gestão do ex-prefeito. A verba no valor total de R$ 1.427.834,98 (um milhão, quatrocentos e vinte e sete mil, oitocentos e trinta e quatro reais e noventa e oito centavos) foi alocada para construção de uma Unidade Escola de Educação Infantil. O novo prédio, ainda não batizado e localizado na Rua Constantino Soares da Silva, nº 2.839, será destinado ao funcionamento de uma creche e de uma pré-escola (do berçário ao jardim), com capacidade para atender cerca de 150 crianças, com idades de 6 meses a 3 anos e 11 meses.

Enquanto as portas da creche não são abertas, a situação vem gerando o descontentamento da população, principalmente dos pais que necessitam de vagas em creche e pré-escola para os filhos. A estimativa da Prefeitura é que o local inicie o atendimento até o fim deste semestre. Caso a inauguração atrase e a abertura fique para o início do próximo semestre, pela legislação eleitoral, candidatos à eleição só podem participar de inaugurações de obras até o dia 7 de julho – até lá é provável que a espera acabe.

Foto: Alexsandro Wojcik