Acusado de mandar matar o próprio sócio está foragido

Everton Gonçalves, foragido da Justiça.

Com informações da Banda B e Jornal O Popular do Paraná

Célio tinha 35 anos e era morador de Contenda.

O empresário Everton Gonçalves, de 32 anos, acusado de mandar matar o próprio sócio, Célio Roberto Soares de Campos, está foragido.

Everton chegou a ser preso no ano passado, mas conseguiu sair da cadeia por força de um Habeas Corpus. Desde então, ele vinha respondendo pelo crime em liberdade, sendo que seu advogado de defesa chegou a declarar em uma entrevista que caso fosse expedido o mandado de prisão, Everton iria se apresentar à Justiça, o que não ocorreu.

Na conclusão do processo, o mandado de prisão pelo crime de homicídio foi expedido e na última quinta-feira (19) Policiais da Delegacia de Polícia Civil de Araucária foram cumprir o respectivo mandado e não encontraram Everton.

Informações sobre o possível paradeiro dele podem ser repassadas à Polícia anonimamente pelo 181.

O crime

O crime aconteceu em março de 2019, quando Célio foi morto a tiros em um suposto assalto na sede de sua empresa de segurança na Rua Júlia Theresa Bini, centro de Araucária. Na noite do crime, Everton estava junto com Célio e alegou que o assaltante atirou no sócio depois que Célio fez um movimento abrupto.

Para o Ministério Público do Paraná (MPPR), no entanto, ficou claro que Everton criou uma emboscada para o próprio sócio, sendo que a motivação para o crime seria o fato de que Célio havia descoberto desvios feitos pelo sócio dentro da empresa.