Ex-prefeito acusado de mandar matar prefeito eleito deixa a cadeia

Ex-Prefeito Gilberto Dranka e Ex-Vereador e Presidente da Câmara Municipal da Piên Leonides Maahs são acusados de serem os mandantes do assassinato do Prefeito eleito. Foto: O Regional

Alexsandro Wojcik

De acordo com a Banda B, o Tribunal de Justiça do Paraná (TJ-PR) concedeu na tarde da última quinta-feira (8) liberdade ao ex-prefeito de Piên, Gilberto Dranka, que fará agora uso de tornozeleira eletrônica e responderá ao processo em liberdade. O político é suspeito de envolvimento na morte do prefeito eleito da cidade, Loir Dreveck, de 52 anos, que foi assassinado em dezembro de 2016 antes de tomar posse no cargo. Ele foi baleado por um motociclista em uma rodovia de Santa Catarina, quando viajava com a família. O prefeito eleito chegou a ser internado, mas morreu três dias depois.

Gilberto Dranka. Foto: reprodução.

Na denúncia acatada pela Justiça, o Ministério Público afirma que Gilberto Dranka e o ex-vereador e Presidente da Câmara Municipal da cidade, Leonides Maahs, foram os mandantes do crime.

Em entrevista à Banda B, Rosilda Dreveck, irmã do prefeito morto, afirmou que a liberdade de Dranka foi como uma segunda morte de seu irmão. “Ontem ao receber esta notícia a gente teve uma dor muito parecida com o dia da morte dele, porque percebemos que vai ser difícil lutar por justiça. Tem pessoas que julgam e fazem justiça e outras que desfazem. Se eu jogar uma pedra na casa do Dranka vou para a cadeia, mas ele vai responder em liberdade por um assassinato. E o meu irmão? Nunca o teremos de volta”, lamentou.