Um ano após manifestação, familiares de Valdeliz Alberti Baumel ainda esperam por justiça

Fotos: divulgação

 Alexsandro Wojcik

No próximo dia 14 de abril se completarão 2 anos desde que Valdeliz Alberti Baumel, ex-gerente bancária, foi assassinada por um disparo na nuca, diante de seu neto de 6 anos. O crime aconteceu em Pirabeiraba-SC e até hoje não foi elucidado. Familiares da vítima explicaram que o inquérito não foi concluído pela delegacia de Pirabeiraba (que é um distrito de Joinville).

Visando cobrar das autoridades mais empenho nas investigações, familiares e amigos realizaram uma manifestação há 1 ano atrás na cidade onde o crime ocorreu. Hoje, em luto e com o sentimento de impunidade e injustiça, a família afirma que a manifestação não surtiu o efeito esperado, pois ainda se aguarda a solução do caso e a condenação do culpado.

A família de Valdeliz é da Lapa, mas ela, que é natural de Curitiba, residia com o marido em Contenda. Por muitos anos, foi gerente de uma agência do banco Itaú de Araucária, até ser transferida para a agência de Pirabeiraba (SC). Ela passava a semana na cidade e, nos fins de semana, voltava para Contenda, para ficar com o marido.