Criminosos tentam aplicar o golpe do falso sequestro em Contenda

Alexsandro Wojcik

Moradores de Contenda relatam estarem recebendo ligações de criminosos tentando aplicar o golpe do falso sequestro nas últimas semanas. Há cerca de um ano, casos semelhantes já haviam sido registrados na cidade. Na abordagem, via ligação para telefones fixos ou móveis, um homem costuma se apresentar como o sequestrador do outro lado da linha, afirmando estar com um familiar da vítima, papel este geralmente desempenhado por uma mulher. Para convencer a vítima de que se trata realmente de um sequestro, a mulher, do outro lado da linha, chora e pede socorro, se passando por filha, esposa ou parente de quem atendeu a ligação, numa tentativa de concretizar o golpe. Se alguém acredita no suposto sequestro, o homem pede dinheiro via depósito bancário para liberar a suposta familiar sequestrada.

De acordo com especialistas em segurança pública, no caso de receber uma ligação telefônica ameaçadora narrando o sequestro de um parente, é necessário antes de tudo procurar manter a calma. Na maior parte das tentativas desse famigerado golpe, o marginal ameaça a vítima a todo momento e determina que o telefone ou celular não seja desligado em hipótese alguma. A pressa do suposto sequestrador também é uma das principais características do falso sequestro por telefone e o valor solicitado para o resgate costuma girar em torno de 1 a 10 mil reais. Às vezes o negociador aceita qualquer quantia e aceita até mesmo baixar os valores a pedido da própria vítima.

Geralmente, o suposto sequestrador também não permite que a vítima converse com o suposto sequestrado em hipótese alguma e não dá nenhum tipo de informação sobre as circunstâncias em que o sequestro foi praticado, como hora e local exato em que a pessoa foi capturada e suas vestimentas. Por fim, o fato de o bandido fornecer uma conta bancária para depósito do dinheiro é o mais forte indício de que se trata de um golpe e não de um sequestro real.

ORIENTAÇÕES PARA NÃO CAIR NO GOLPE

1 – Manter a calma

Diante da possibilidade de um familiar ter sofrido um acidente ou sequestro, a vítima deixa de tomar providências óbvias, como checar se a informação é verdadeira com a suposta vítima. Uma simples ligação para o suposto sequestrado (a) resolveria o caso.

2 – Não dê nome de parentes para os criminosos

O nervosismo faz com que a vítima, sem perceber, dê informações úteis para os bandidos. Ao ouvir o choro do “sequestrado”, ela acaba falando o nome de um parente. E isso é tudo que os criminosos precisam para pressionar ainda mais a vítima.

3 – Oriente os idosos

Pessoas idosas costumam ser mais vulneráveis à manipulação dos bandidos.

4 – Sempre dê queixa na polícia

Mesmo que caia no golpe, procure a polícia para registrar o caso. Com informações sobre a origem da chamada e o número da conta ou local que foi entregue o valor pedido pelos bandidos as autoridades podem localizar os criminosos e evitar novas vítimas.