Como a nutrição funcional pode te ajudar!

A nutrição funcional trabalha para abordar e prevenir de maneira mais humana, focada  no indivíduo e suas complexas disfunções crônicas que geram malefícios à saúde.

Consiste na interação entre todos os sistemas do corpo, incluindo as relações que existem entre o funcionamento físico e aspectos psicológicos, muitas vezes motivados pela má alimentação, o sedentarismo e alterações emocionais que passamos.

Trabalha com a individualidade bioquímica e os efeitos dos alimentos no organismo de cada um, sendo mais abrangente do que apenas estabelecer planejamentos alimentares baseados em contagem de calorias.

A Nutrição Clínica Funcional possui alguns princípios básicos:

Trabalhar os sinais e sintomas

Respeitamos cada aspecto, físico e bioquímico do corpo do indivíduo.

Tratamento e atenção ao paciente:

O método é direcionado ao paciente e não à doença. O indivíduo é abordado como um todo, um conjunto de sistemas que se inter-relacionam e que sofrem influências de fatores ambientais, emocionais, alimentares, patológicos, uso de medicamentos, hábitos de vida e atividade física.

Equilíbrio nutricional e de nutrientes:

Torna-se importante a oferta de nutrientes em quantidades adequadas e em equilíbrio com todos os outros, para que haja a absorção e aproveitamento pelas células.

Saúde como vitalidade plena:

Saúde não é meramente a ausência de doenças, e sim o resultado de diversas relações entre os sistemas orgânicos, por isso analisa-se os sinais e sintomas físicos, mentais e emocionais que podem estar nas bases dos problemas apresentados.

Muito além do emagrecimento, a nutrição funcional busca o equilíbrio do organismo para tratar as causas e não apenas os sintomas das doenças.

Conheça algumas aplicações onde a nutrição pode te ajudar:

  • Alergias alimentares (Intolerância ao glúten e lactose etc.);
  • Alergias respiratórias (renite, sinusite e bronquite);
  • Controle dos sintomas da TMP e Menopausa;
  • Cardiopatias (doenças do coração);
  • Diabetes (Tipo I, Tipo II e Gestacional);
  • Dislipidemia (distúrbios do colesterol);
  • Emagrecimento (obesidade, sobrepeso, efeito sanfona)
  • Distúrbios relacionados a alimentação (Bulimia, anorexia e compulsão alimentar);
  • Doenças gastrointestinais (Esofagite, gastrite, refluxo, constipação crônica, disbiose intestinal, etc.);
  • Disfunções hormonais (hipotiroidismo, síndrome do ovário policístico etc.);
  • Desnutrição no paciente pré e pós-cirúrgico, no idoso e na criança;
  • Emagrecimento (obesidade, sobrepeso, efeito sanfona);
  • Doenças psicológicas (ansiedade e depressão);
  • Qualidade de vida e reeducação alimentar.

DESTA MANEIRA A NUTRIÇÃO PODE AJUDAR OS INDIVÍDUOS A TEREM UMA SAÚDE PLENA!