Parati força ultrapassagem e colide de frente com gol no centro

Alexsandro Wojcik

Por volta das 18h10 do último sábado (18) um veículo Parati se chocou de frente com um veículo Gol no centro de Contenda. A colisão foi na Rua Rio de Janeiro, que dá acesso ao viaduto da BR 476 e ao centro do município. A Parati, placas AOU-4184, seguia sentido ao viaduto quando tentou uma ultrapassagem forçada e bateu de frente com o Gol, placas AKW-4738, que descia em sentido oposto. No local, a subida impede completamente a visão a média distância, tanto para quem sobe quanto para quem desce.

Emerson José de Siqueira dirigia a Parati e teve ferimentos leves, assim como o motorista do gol, Alexsandro Wojcik – isso mesmo, o “senhorito” que vos escreve, editor deste jornal local –, que foi encaminhado para o Hospital Municipal, de onde foi transferido para o Hospital Nossa Senhora do Rocio, de Campo Largo, passou por exames e ficou em observação até esta segunda-feira (20), mas passa bem. Ambos os motoristas não usavam cinto de segurança no momento da batida. Já uma passageira que estava no gol usava cinto e teve apenas hematomas, causados pelo próprio cinto.

“Palavra do editor” (RISOS)

Ironia à parte, no dia do acidente eu voltava da cidade de Araucária quando entrei na rua do ocorrido e, por pura mania, tirei o cinto de segurança só porque estava chegando ao destino final. Péssima escolha. Mais alguns metros adiante e a colisão ocorreu.

Independente do fator de causa, não há como prever quando muito menos onde um acidente vai ocorrer. É incrível como o nosso trânsito é perigoso. Mais incrível ainda é como essas ocasiões nos fazem repensar nossas próprias atitudes. Embora no perímetro urbano a chance de se acontecer um acidente mais grave seja “somente” razoável, ela ainda existe. Se eu não tivesse tirado o cinto só porque estava próximo do destino não teria passado dois dias no Hospital. Tirar o cinto só ao parar o carro. Este é o correto. Independente da estrada, da localidade.

Como eu não pude não me incluir nesta matéria, a dificuldade em escrever foi tamanha que deixei de lado o “protocolo” para deixar aqui o alerta! Embora tenha escrito o texto neste tom, trânsito não é brincadeira!