Prefeitura encaminha ofício a Sanepar pedindo readequação de obras da Nato

Precariedade no serviço obrigou o Poder Executivo a enviar relatório pedindo reparos

 

Nato (11)

Obras da Nato tem causado reclamações por parte da população. Fotos: Alex Wojcik.

A empreiteira Nato, que foi contratada pela Companhia de Saneamento do Paraná, a Sanepar, para realizar as obras de implantação do sistema de esgoto em Contenda, terá que fazer novos reparos nos serviços. Pelo menos é o que pretende a Prefeitura por meio de ofício enviado para a Companhia na última quarta-feira (25).

A Companhia fez a contratação da Nato por meio de licitação e é a única que pode fazer a fiscalização das obras. Isso não significa, porém, que a Prefeitura não tenha ficado de olho, até porque a precariedade, principalmente no acabamento do serviço, era evidente. A compactação inadequada do solo resultou em buracos e desníveis em ruas e calçados.

Diante das inúmeras falhas registradas, que culminaram com considerável reclamação popular, o Poder Executivo enviou o ofício contendo os pontos críticos e pedindo por meio dele a intervenção da Sanepar para que a empreiteira realize o reparo dos referidos locais.

...o que resultou em desníveis, buracos e muita reclamação

Compactação inadequada resultou em desníveis, buracos e muita reclamação.

Sanepar diz que irá avaliar o pedido

 

Em resposta ao contato feito por nossa reportagem na manhã de ontem (26), a assessoria de comunicação da Sanepar informou que a companhia irá avaliar os pedidos da prefeitura e que já recebeu o ofício, mas que ele ainda não chegou à engenheira responsável, Claudia Antonietto Coelho.

 

Ligação do esgoto e tarifas

 

A assessoria esclareceu também que a ligação das residências ao sistema de esgoto é de responsabilidade do morador, que, dessa forma, também deve pagar os custos estipulados pela Sanepar: o valor da ligação do imóvel à rede de coleta e tratamento de esgoto será de R$ 45,74. As famílias contempladas com os benefícios da tarifa social, pagarão R$ 22,87 pela ligação.

Vale lembrar que é preciso aguardar o momento adequado para fazer a ligação. Quando a residência estiver apta a Companhia deverá entregar um informativo por escrito e a partir da data de envio dessa autorização o dono do imóvel passa a dispor de 30 dias para efetuá-la.

Já o valor a ser pago periodicamente pelo serviço de coleta e tratamento do esgoto será de 80% do valor da tarifa de água gasta no respectivo mês. O que significa que economia na água representará economia na rede de esgoto também. Para quem consome até 10 m³ (10 mil litros de água por mês), o valor mensal a ser pago pelo serviço de coleta e tratamento do esgoto é de R$ 22,11. As famílias inscritas na tarifa social pagarão R$ 3,30 por mês por este serviço. No total, pelos serviços de água tratada e de coleta e tratamento do esgoto, cada família que se mantenha dentro da tarifa mínima, pagará R$ 45,25 por mês ou R$ 9,90 se inscrita na tarifa social. Mas atenção, os referidos custos estão dentro do limite de gasto de água mensal, que é de 10 mil litros (10m³). Se o gasto d’água da residência passar disso ao final do mês, o valor cobrado será maior.

A tarifa social é destinada às famílias carentes, que morem em imóvel de até 70 m² e possuam renda mensal de até meio salário mínimo por pessoa. Famílias que atendam a esses critérios podem procurar o escritório da Sanepar no município para verificar a possibilidade de inserção na tarifa social. A tarifa mínima estipulada pela Sanepar, cobre os custos para manter o funcionamento do sistema de água à residência, que demanda, sobretudo, energia elétrica e pessoal.

Alexsandro Wojcik.