Prefeitura lança programa de castração de cães

O flagrante de uma verdadeira ‘matilha’ de cães de rua no centro de Contenda é um pouco antigo, mas ainda ilustra bem a situação com os animais de rua na cidade. Foto: João Carlos / colaboração

Alexsandro Wojcik

Por meio das Secretarias de Saúde e de Indústria, Agropecuária e Meio Ambiente, a Prefeitura de Contenda lançou recentemente um programa de castração canina. O Programa de bem-estar e Controle Ético Populacional de Cães, como ficou intitulado, tem por objetivo reduzir o crescimento populacional canino no município.

De acordo com informações, será realizada a castração de animais errantes (de rua) e a castração de animais de famílias do município que estão cadastrados nos programas sociais vinculados à Secretaria de Promoção e Assistência Social.

Para participar do programa, o município lembra que a família deve atender alguns critérios, como ser residente de Contenda há pelo menos um ano, ter renda mensal de até 1/3 do salário mínimo per capita, estar inscrito no CADúnico, preferencialmente participar do Programa Bolsa Família ou Família Paranaense, ter animais de seis meses a sete anos de idade e que estejam em boas condições de saúde e livre de parasitas, entre outros.

Imagem: Prefeitura Municipal / divulgação

Os interessados em realizar o cadastro devem procurar a Secretaria de Indústria, Agropecuária e Meio Ambiente, que fica em anexo à Prefeitura de Contenda, no período da manhã, entre às 8h e 12h, munidos de todos os documentos. Informações podem ser obtidas pelo telefone 3625-1212.

O programa de castração foi lançado após amplas discussões sobre o tema. Uma audiência realizada na Câmara Municipal ainda no mês de Abril norteou o desenvolvimento da ação. A reunião foi convocada pelo Vereador João Gilmar, que buscou contato com o centro de Medicina Veterinária da UFPR para buscar informações sobre o tema, sendo que a professora Rita de Cássia, especialista no assunto, deu exemplos de programas similares e de como funciona o processo da castração através de órgãos públicos de outras regiões. A partir de então, o programa foi sendo amadurecido pelo setor responsável da Prefeitura.

“A reunião possibilitou o surgimento de muitas ideias, bem como forneceu bases para orientar as ações que poderiam ser adotas para amenizar o problema, que não possui uma solução definitiva e nem pode ser resolvido num curto espaço de tempo, mas que precisa ser iniciado.”, comentou o Vereador, que após a audiência apresentou um Projeto de Lei (n.º 1765/2018)  que passou a autorizar a Prefeitura a celebrar convênios ou firmar parecerias com universidades públicas ou privadas, clínicas veterinárias ou Ong`s de proteção aos animais, visando o controle da população animal. “Enquanto Vereador, contribuímos na iniciativa de dar início às discussões e ideias. Assim como todos os envolvidos, fico contente que o programa tenha sido lançado pela Prefeitura. Esperamos que venha a transcorrer com resultados.”, finalizou.