Quinta-feira foi marcada por protesto no terminal de Araucária

Com a desintegração tarifária, a população de Araucária está revoltada por ter que desembolsar R$ 5,80 para ir do município até Curitiba

Aécio Novitski - secundáriasManifestantes invadem o terminal central. Fotos: Aécio Novitski.

Cerca de mil pessoas protestaram contra as mudanças no transporte coletivo no terminal rodoviário central de Araucária, na última quinta-feira (19). O protesto começou do lado de fora da rodoviária, por volta das 17h00, mas os manifestantes invadiram o terminal, fecharam a rodovia e só foram se dispersar em frente à Prefeitura Municipal, onde o protesto terminou, por volta das 20h30. Eles pediam uma solução com relação da desintegração da tarifa e de algumas linhas de ônibus. Com a desintegração tarifária, a população de Araucária está revoltada por ter que desembolsar R$ 5,80 para ir do município até Curitiba.

Aécio Novitski - secundárias (2)

Protesto só acabou em frente à Prefeitura Municipal, por volta das 20h30.

A manifestação foi pacífica, apenas uma pessoa foi presa por tentar arrancar uma grade do terminal. A polícia militar e a guarda municipal fizeram a segurança no local. Durante a manifestação, nenhum ônibus entrou ou sai do terminal. O protesto tomou conta da ala do sistema triar e os manifestantes também fecharam os dois lados da Rodovia do Xisto. Um caminhão até tentou passar, mas foi contido pelos manifestantes.

No dia seguinte ao protesto, a Comec anunciou que os passageiros da linha Araucária-Portão poderiam fazer novamente a integração com outros ônibus em Curitiba, sem ter que pagar uma nova passagem. Mas até a última segunda-feira (23), o ônibus foi flagrado parando fora do terminal, obrigando os passageiros a pagar nova passagem para usar as linhas da capital.

Da redação