Tarifas sobem e direto tem aumento de R$ 1,30

Direto (2)

Foto: Alexsandro Wojcik.

A partir desta segunda-feira (01), os usuários do sistema de transporte público de Curitiba e Região Metropolitana estão pagando mais caro para usar o serviço. Na capital, a tarifa passou de R$ 3,30 para R$ 3,70. O aumento atinge também o valor das tarifas do Circular Centro e a da domingueira, que passaram de R$ 1,50 para R$ 2,50, além da Linha Turismo, que foi de R$ 35,00 para R$ 40,00.

Segundo Roberto Gregório, presidente da Urbanização de Curitiba (Urbs), responsável pelo gerenciamento do transporte coletivo na capital, o aumento é necessário para o “equilíbrio financeiro do sistema”. Além disso, segundo Gregório, com o aumento fica garantida a manutenção da integração com o transporte metropolitano.

Para os passageiros da Região Metropolitana, a definição dos novos preços, com reajuste, foi de responsabilidade da Comec (Coordenação da Região Metropolitana de Curitiba), que fez um estudo da planilha onde se considerou a distância percorrida, o carregamento de passageiros, o custo operacional e o equilíbrio econômico-financeiro do conjunto de linhas por empresas. Foram criados quatro degraus tarifários:

1º degrau: R$ 3,70 – vale para linhas que vão para Curitiba a partir de Campo Magro, Campo Largo, Araucária e Pinhais.

2º degrau: R$ 3,80 – vale para linhas que vão para Curitiba a partir de São José dos Pinhais, Almirante Tamandaré e Colombo.

3º degrau: R$ 3,90 – vale para linhas que vão para Curitiba a partir de Piraquara e Fazenda Rio Grande.

4º degrau: R$ 4,70 – vale para linhas que vão para Curitiba a partir de Bocaiuva do Sul, Contenda, Itaperuçu e Rio Branco do Sul.

Após anunciar o aumento da passagem de ônibus para R$ 3,70, a Urbanização de Curitiba (Urbs) declarou que não descarta novos reajustes na tarifa. Segundo o presidente Roberto Gregório, existem vários fatores que podem pressionar o aumento ou a diminuição do valor cobrado.

“Nós temos várias questões em jogo, até mesmo demandas judiciais, principalmente nas vésperas da discussão da data-base dos trabalhadores. A Urbs já começou a conversar com a Coordenação da Região Metropolitana [Comec] e está fazendo o possível para resolver a situação. Queremos que outras cidades compartilhem alguns custos com a capital, como a manutenção de terminais, por exemplo”, disse Gregório em entrevista à Banda B.

Os patrões ofereceram a reposição da inflação pelo Índice Nacional de Preços ao Consumidor (INPC), bônus de R$ 380 em uma só parcela e R$ 45 de aumento no cartão-alimentação. A categoria tem assembleia marcada nesta segunda, às 20 horas, para definir rumos da negociação.

Para os usuários de Contenda, além do aumento na passagem da linha Araucária / Contenda, que passou de R$ 4,40 para R$ 4,70, o direto, que não possui integração com os terminais, passou de R$ 4,40 para R$ 5,70. Um aumento de R$ 1,30 na tarifa.

Fonte: Banda B