Transporte coletivo sofre mudanças

inenra

Foto: Alexsandro Wojcik

A partir do dia 6 de agosto os passageiros das linhas de ônibus metropolitanas poderão utilizar um cartão eletromagnético para efetuar os pagamentos das tarifas do transporte coletivo. A implantação da bilhetagem eletrônica, negociada pelo governo estadual com as empresas de transporte, promete trazer mais transparência e segurança para o sistema, que transporta diariamente mais de 460 mil usuários.

As mudanças foram apresentadas pela Coordenação da Região Metropolitana de Curitiba (Comec) aos prefeitos dos municípios metropolitanos e representantes do Tribunal de Contas do Estado em reunião recente.

A tecnologia é da Transdata e a gestão do sistema será da Metrocard, associação que representa as empresas operadoras do transporte coletivo da região metropolitana. Com a ferramenta será possível, por exemplo, controlar a frota, os horários, a velocidade, número de passageiros, número de isentos e pagamento às empresas.

Todas as informações coletadas serão obrigatoriamente repassadas ao governo estadual, que também terá acesso simultâneo aos dados. Com a mudança, o sistema não aceitará mais os pagamentos com o cartão transporte da Urbs dos ônibus metropolitanos. A primeira via dos cartões transporte será distribuída gratuitamente aos usuários através das unidades da Metrocard. O cartão será lido em todas as linhas de ônibus da RMC.

O sistema tem outra importante funcionalidade, que é um aplicativo para celulares para acompanhamento, em tempo real, da localização e horário de chegada dos ônibus. Por meio do georreferenciamento, será possível o usuário saber a localização dos ônibus da linha selecionada e saber se o serviço está pontual, atrasado ou adiantado. Até final de setembro, todos os 500 veículos da frota que atendem a rede metropolitana serão equipados com GPS.

Além de ajudar o passageiro, o sistema também fornecerá informações às empresas para reduzir custos em manutenção, desgaste mecânico e consumo de combustíveis. A ferramenta marcará, por exemplo, excessos de velocidade, aceleração e freadas bruscas e o consumo de combustíveis de cada veículo. O usuário que tiver direito ao passe livre e emprestar o cartão para outra pessoa será notificado e poderá ter o benefício suspenso ou até cancelado. É que o sistema implantado na rede metropolitana de Curitiba terá identificação biométrica facial para combater esse tipo de fraude.

A expectativa do presidente da Associação dos Municípios da Região Metropolitana e prefeito de Contenda, Carlão Stabach, é que o sistema melhore a qualidade do transporte na região. “Desde que assumi essa era uma reivindicação importante. A bilhetagem vai dar tranquilidade e muito mais praticidade que o usuário precisa. A espera valeu muito”, disse. Ele elogiou a transparência da ferramenta e destacou que o ponto forte é o usuário conseguir saber a localização exata dos ônibus.

Informações: AEN.