Dono de empresa do transporte coletivo de Araucária é preso pelo Gaeco

Fonte: Banda B

Suspeito de corrupção, o dono da viação Transtupi, de Araucária, foi preso ontem (21) pelo Grupo de Atuação Especial de Combate ao Crime Organizado, o Gaeco. A ação faz parte da segunda fase da operação que denunciou supostas fraudes no transporte coletivo do município.

Além dele, outro empresário, que não teve o ramo de atuação divulgado, também acabou detido por participação em um esquema de lavagem de dinheiro. “Nós temos indícios de que o dono da viação teria feito pagamento de propina a favor do ex-prefeito Rui Alves de Souza [PTC] que foi preso em dezembro do ano passado e de outras pessoas relacionadas a ele”, explicou o coordenador do Gaeco, Leonir Batisti, em entrevista à Banda B.

De acordo com o promotor, a segunda fase da operação cumpriu cinco mandados de prisão, seis de busca e apreensão e três de condução coercitiva – quando a pessoa é conduzida para depor. “O ex-prefeito tinha duas ordens judiciais contra ele e agora passa a ter mais um mandado. Durante a operação, nós prendemos também um ex-secretário da prefeitura e uma pessoa de confiança indicada pelo ex-gestor do município, que fazia a mediação entre ele e os empresários”, completou Batisti.

Os mandados de busca e apreensão foram realizados nas casas dos suspeitos, empresas e em escritórios de advocacia. De acordo com as investigações, Rui Alves pedia dinheiro para liberar o pagamento de contratos prestados à prefeitura. Ele colocava na frente da fila as empresas que aceitavam a chantagem.

A reportagem entrou em contato com o Sindicato das Empresas de Ônibus da Grande Curitiba (Setransp), que informou que não se pronunciará sobre o caso.