Mudanças no anel viário do centro continuam pela metade

carpejani-natal-625-acessos

internaFotos/texto: Alexsandro Wojcik

As mudanças nos sentidos da circulação dos veículos no centro de Contenda continuam parciais. Os sentidos únicos de circulação na Avenida São João e na Rua Francisco Sotel Cordeiro ainda não foram efetivados e sequer possuem previsão para serem concretizados. A efetivação segue dependendo da finalização da adequação da sinalização viária: a pintura do pavimento sinalizando os sentidos únicos já foi feita, mas ainda faltam as sinalizações verticais, ou seja, as placas, além do fato de que a presença das placas antigas que sinalizam os sentidos duplos representa outro impeditivo para que a mudança já se dê na prática.

De todas as mudanças previstas, o sentido único da Avenida João Franco, a partir da Rua Stanislau Szczypior até a Avenida Francisco Sotel Cordeiro, é a única realmente efetuada até aqui, assim como a da Rua Dr. Anadyr de Moura Carvalho, que segue da Francisco Sotel Cordeiro até a Stanislau Szczypior. Já na Rua Francisco Sotel Cordeiro, da João Franco para a BR476, a circulação dos carros segue em sentido duplo. Na teoria, o sentido único já estaria valendo, pois a sinalização no pavimento, segundo a Prefeitura, seria suficiente; na prática, porém, os motoristas continuam trafegando nos dois sentidos, devido, principalmente, à permanência das placas antigas que ainda fazem a sinalização para os sentidos duplos. O cenário se repete na Avenida São João.

O fato é que antes da realização da última eleição municipal, as obras de recapeamento asfáltico da Avenida João Franco, então última intervenção necessária para a implantação do novo anel viário, foram aceleradas a fim de ficarem prontas tão logo quanto fosse possível. Operários trabalharam no recapeamento asfáltico inclusive em dias de chuva. O prazo dado para a empresa responsável pelos trabalhos na Avenida João Franco, que, além do recape, incluía ainda a substituição das antigas lombadas por travessias elevadas e a readequação e construção de novos canteiros centrais, era de quatro meses e foi respeitado com certa folga. Pelo ritmo que se via, esperava-se uma completa efetivação das mudanças nas demais ruas até meados de outubro, no período pós-eleitoral – essa era, inclusive, a estimativa da própria Prefeitura. Passados pelo menos dois meses, no entanto, a situação ficou estática.

Em Contato com a Prefeitura, foi questionado se a mesma está a tomar alguma medida para que as mudanças nos sentidos de circulação sejam enfim efetivadas. Em resposta, o setor responsável afirmou apenas que encaminhou ao setor de compras da Prefeitura as sinalizações verticais (placas) necessárias, e que foi informado que há ainda uma posterior necessidade de controle da circulação dos veículos, ou seja, emissão de multas, se necessário, até que a ordem esteja estabelecida. Nenhuma previsão, porém, foi dada.